20.7 C
Mato Grosso
terça-feira, julho 23, 2024
spot_img
HomeMato GrossoFrigorífico JBS de Diamantino MT será o maior do Brasil

Frigorífico JBS de Diamantino MT será o maior do Brasil

Friboi, que pertence ao Grupo JBS, anunciou que vai investir R$ 800 milhões para triplicar a capacidade de produção da unidade; A nova planta frigorífica terá capacidade para abater 3600 cabeças de gado por dia, se tornando a maior da empresa no país. 

A JBS anunciou que investirá R$ 800 milhões em sua unidade da Friboi em Diamantino (MT), o que permitirá triplicar a capacidade de produção no local. 

Os recursos serão aplicados na recuperação e modernização da fábrica, atingida por um incêndio no último dia 11. Com o investimento, a unidade de Diamantino se tornará a maior da Friboi no País, segundo nota da empresa.

O anúncio do investimento foi realizado pelo CEO da JBS no Brasil, Gilberto Xandó, e pelo presidente da Friboi, Renato Costa, durante encontro com autoridades locais e com o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, em visita à unidade, que se encontra com a produção interrompida após o incêndio que atingiu parte das instalações no dia 11 passado. O encontro também contou com a participação de Wesley e Joesley Batista, do grupo J&F, holding que controla a JBS. 

Após o incêndio, que levou mais de 8 horas para ser controlado, o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Alimentícia (Sintiaal) já havia feito um acordo com a empresa de conceder férias coletivas aos funcionários, ou mesmo realocá-los pra outras outras unidades do frigorífico na região até a restauração da unidade de Diamantino. 

Devido ao incêndio, a indústria decidiu manter os empregos, concedendo férias coletivas aos funcionários. Além disso, foi acordado que, em alguns casos, os funcionários serão redistribuídos para outras unidades da empresa até que a unidade de Diamantino retome suas atividades. Com um aporte de R$ 800 milhões na recuperação e na modernização da fábrica, serão gerados ao menos 1.400 empregos no local, além da manutenção dos atuais. A força de trabalho será duplicada na unidade, para 2.800 colaboradores. Atualmente, a JBS é responsável pela geração de mais de 9.500 empregos diretos em Mato Grosso. O número vai chegar perto de 11.000. Conforme uma reportagem, os irmãos Batista destacaram durante o encontro que a unidade de Diamantino era uma planta-modelo da JBS no Brasil. Por isso, eles planejam investir R$ 500 milhões em reformas e mais R$ 300 milhões para a manutenção dos empregos e reposição de matéria-prima. 

“Mato Grosso é uma região de extrema importância para a JBS e para a Friboi. Esse investimento em Diamantino é um reflexo do nosso compromisso em continuar a apoiar e investir no estado”, afirmou Joesley. “Com esse aporte, teremos a maior unidade da Friboi no país. É uma demonstração de como a região é estratégica para nós”, disse Wesley. “Estamos empolgados com a perspectiva de ampliar nossa presença no município, e esperamos fortalecer ainda mais a indústria pecuária de Mato Grosso, contribuindo para seu desenvolvimento econômico”, destacou Xandó. O presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho, mencionou em suas redes sociais que a empresa cumpriu sua parte ao manter os empregos e agora o governo, juntamente com o município e a união, precisa dar suporte à indústria. 

Ele também informou que a nova planta frigorífica terá capacidade para abater 3600 cabeças de gado por dia, em comparação às 1600 anteriores, e que estão trabalhando para que a unidade também produza gelatina e couro, agregando mais valor ao produto e à região. 

A expectativa é de que as obras de recuperação e expansão da planta estejam concluídas até o fim deste ano, permitindo a retomada das operações no local. “Unindo esforços, vamos transformar o momento difícil em novas oportunidades para Mato Grosso e para o agronegócio do Brasil”, afirmou o ministro Fávaro. Donos do Grupo JBS, considerado um dos maiores produtores de carne bovina do mundo, avaliado em cerca de R$ 32 bilhões, os irmãos Joel e Wesley Batista fizeram uma delação contra o então presidente da República Michel Temer, em 2017, que foi gravado por eles supostamente lhes pedindo propina. 
 

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas