21.9 C
Mato Grosso
segunda-feira, março 4, 2024
spot_img
HomeNotícias"Vamos barganhar", diz professor ao pedir nudes para aluno; veja

“Vamos barganhar”, diz professor ao pedir nudes para aluno; veja

Reprodução/Google Maps

Conversa em aplicativo revela conversa e pedido de professor acusado de assédio sexual por mães

Em detalhe trecho de conversa entre suposto professor e aluno assediado no Colégio Salesiano São Gonçalo

A reportagem do MidiaNews teve acesso a uma conversa, via  messenger, de um aluno com o professor do Colégio São Gonçalo acusado de assediar sexualmente estudantes menores de idade. 

Eu entendo… Eh que eu queria outas coisas mesmo. Gosto muito de ti… E daí bateu umas curiosidades”, diz o professor

A gravação da tela do celular mostra o contato atribuído ao professor fazendo uma proposta de cunho sexual ao aluno em troca de melhorar a sua avaliação em uma disciplina (veja os prints ao final da matéria).

Na tarde de quinta-feira (30), o MidiaNews publicou, com exclusividade, uma reportagem sobre o áudio da mãe de uma das vítimas, que expôs o caso a outras mães do colégio. Ao menos outras três famílias teriam denunciado o caso à Polícia.

No áudio a mãe afirma que o professor tentou “barganhar” notas em troca de favores sexuais, fotos e vídeos. A conversa recebida pela reportagem é fiel ao relato da mãe de como os fatos teriam sucedido.

Confira:

– “Ai moço, cadê a moral?”, pergunta o professor, cobrando a atenção do aluno.

– “Tá aqui kkk Minha velha pegou meu cel. Como você tá?”, responde o aluno.

O professor pergunta o que o adolescente “aprontou” e o menor responde que “nada”, que tudo foi em decorrência das “notas” que ele teve.

O professor segue, dizendo que estava cansado por ter passado o final de semana corrigindo as provas.

O aluno pede ao docente para que fale das notas, de quanto ele havia tirado.

– “Foi malzão moço 3,5 de 8”, responde o professor.

Desacreditado, o adolescente retruca: “Para, mentira”.

– “Por que eu mentiria pra tu”, afirma o docente.

O adolescente manda alguns áudios, dando a entender que está perguntando das notas de outra disciplina.

Em meio à conversa o professor sugere: “Vamos barganhar, ué”.

O menor, que ao que tudo indica pensou que a proposta se tratava de dinheiro, encaminha outro áudio.

Em resposta o docente afirma não se tratar de “quanto” e, sim, “do que”.

– “kkkk Não é bem quanto… É o que”, disse o docente.

– “KKK Pera, o que?”, responde surpreso o menor.

O professor parece fingir ter se arrependido do “convite” e diz: “Te mandei uma mensagem… Tô com vergonha… Mas eh isso aí”.

Durante a conversa o professor cobra constância ao aluno. “Sumiu de novo?”.

Poxa, aí é foda pô, gosto mulher, nem vira, e namoro também, pó. Eu pagaria um dinheiro se você quisesse”, disse o adolescente.

– “Nem uns nudes, uns videozinhos?”, insiste o professor.

O menor recusa mais uma vez e oferece dinheiro novamente.

O professor segue firme no pedido. “Eu entendo… Eh que eu queria outas coisas mesmo”. Ele prossegue: Gosto muito de Ti… E daí bateu umas curiosidades”.

O menor desconversa e diz que irá tomar banho.

– “Morreu no banheiro? […] KKKK Esse banho foi animado”, afirma o professor.

Áudio de mãe

No áudio, a mãe deu detalhes da abordagem do professor junto ao filho dela, e o relato é idêntico à conversa a que o MidiaNews teve acesso.

“Ele é um predador sexual. Ele não é um professor, é um pedófilo. Ele estava ali para persuadir nossos filhos e tentar tirar a inocência deles”, afirmou a mãe.

“Todos os quatro foram assediados pelo professor, que sabendo da dificuldade que eles estavam com notas em algumas matérias, tentou persuadi-los em troca de favor sexual, fotos e videos para poderem passar de ano. Ele disse que conseguia mudar qualquer tipo de nota”, afirmou.

Segundo a mulher, o professor “barganhava e usava a instituição como bengala, usando as crianças como reféns”.

Ela narra no áudio que, quando o filho lhe contou o teor das conversas, ela pensou que o professor estava sugerindo algumas aulas de reforço.

“Meu filho disse que o professor falou que ele não iria passar de ano só se não quisesse. Eu achei que ele poderia estar sugerindo aulas particulares”.

“Mas ele o abordou falando que queria trocar notas por safadezas, que nós sabemos que é o ato sexual. Quando os meninos negaram, ele disse que queria fotos ou vídeos”, disse.

Polícia investiga

A Polícia Civil informou que foram registrados boletins de ocorrência com vítimas menores de idade sobre o caso.

Segundo a assessoria da instituição, “os fatos estão em apuração pela Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente de Cuiabá (Deddica)”, diz trecho.

“Por se tratar de ocorrências envolvendo menores de idade, outras informações não serão fornecidas a fim de resguardar e preservar as vítimas”.

Fonte: MidiaNews

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas