32 C
Mato Grosso
sábado, dezembro 9, 2023
spot_img
HomeJustiçaJustiça condena mato-grossense a 5 anos de prisão por atentado a bomba...

Justiça condena mato-grossense a 5 anos de prisão por atentado a bomba em Brasília

Em decisão proferida nesta quinta-feira (11) a Justiça do Distrito Federal condenou o mato-grossense Alan Diego dos Santos Rodrigues por envolvimento na tentativa de explodir uma bomba próximo ao aeroporto de Brasília no dia 24 de dezembro de 2022. A pena dele será de 5 anos e 4 meses, ambos em regime inicial fechado. Além dele também foi condenado George Washington de Oliveira Sousa, a 9 anos e 4 meses de prisão.  

O processo tramita na 8ª Vara Criminal de Brasília. George e Alan foram condenados por expor a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outro, mediante colocação de dinamite ou de substância de efeitos análogos em um caminhão-tanque carregado de combustível, bem como causar incêndio em combustível ou inflamável.  

Além disso, George ainda foi condenado por porte ilegal de arma de fogo e artefato explosivo ou incendiário.  

Os acusados responderam ao processo presos e não poderão recorrer em liberdade. Para o juiz, não há fato novo que justifique a revogação da prisão.  

“As circunstâncias dos fatos indicam periculosidade concreta, presente, ainda, a necessidade de preservar a ordem pública, mantenho a prisão preventiva de ambos os acusados”, disse o magistrado.  

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), George Washington de Oliveira Sousa, Alan Diego dos Santos Rodrigues e Wellington Macedo de Souza, se encontraram durante as manifestações contrárias ao resultado das eleições presidenciais, em frente ao Quartel General do Exército em Brasília-DF, oportunidade em que decidiram se unir para praticar delitos.  

O objetivo dos denunciados, segundo o MPDFT, era cometer infrações penais que pudessem causar comoção social a fim de que houvesse intervenção militar e decretação de Estado de Sítio.  

Para tanto, George transportou, no dia 12 de novembro de 2022, em um automóvel, da sua cidade natal no Pará até Brasília, diversas armas de fogo, acessórios e munições com o propósito de distribuir os armamentos a indivíduos dispostos a usá-los no cumprimento de seu intuito, garantir distúrbios sociais e evitar a propagação do que ele denomina como comunismo.  

Na viagem, George ainda trouxe dinamites. Já em Brasília/DF, em frente ao Quartel General, em 23 de dezembro de 2022, George, Alan e Wellington e outros manifestantes não identificados elaboraram o plano de utilização de artefato explosivo para detonação em lugares públicos.  

Em seguida, em comunhão de esforços, George montou e entregou o artefato explosivo a Alan, que, por sua vez, repassou-o a Wellington para o cumprimento da ação delitiva.  

Assim, este último e outro indivíduo não identificado, deslocaram-se até o Aeroporto de Brasília e colocaram a bomba no eixo traseiro de um caminhão-tanque que estava estacionado aguardando o momento de se aproximar da base aérea para ser desabastecido.  

O caminhão estava carregado de querosene de aviação e tinha capacidade para 60 mil litros. Antes, porém, que a bomba pudesse explodir, o motorista do caminhão-tanque percebeu a presença do artefato explosivo, retirou-o de perto do veículo e acionou a polícia.  

O processo foi desmembrado em relação ao acusado Wellington Macedo de Souza.

Do GD

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas