30.2 C
Mato Grosso
quinta-feira, maio 30, 2024
spot_img
HomeNotíciasEmpresário investigado por comercializar armas para membros de facção criminosa é preso

Empresário investigado por comercializar armas para membros de facção criminosa é preso

Armas de fogo foram apreendidas após dois criminosos virem a óbito durante confronto com a Polícia Militar

Um empresário e colecionador de armas, suspeito de comercializar arma de fogo para integrantes de uma facção criminosa atuante na região norte do estado, teve o mandado de prisão preventiva cumprido pela Polícia Civil, na manhã deste sábado (01.07), em investigação realizada pela Delegacia de Peixoto de Azevedo.

A prisão do empresário foi realizada no município de Sinop, para onde o investigado fugiu, após deixar Peixoto de Azevedo há alguns dias. Na operação policial, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão que resultaram na apreensão de duas armas de fogo, uma carabina CTT40 e uma pistola TH40.

Os mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra o empresário foram expedidos pela Justiça, na quinta-feira (29.06), após investigações da Polícia Civil que identificaram o envolvimento do suspeito com a facção criminosa.

Entenda o caso

A equipe da Delegacia de Peixoto de Azevedo vinha investigando diversos homicídios ocorridos na região, com suspeita de autoria de integrantes de uma facção criminosa.

No dia 22 de abril, os suspeitos, Luiz Augusto Lima Campos, conhecido como “GL” e Aldo Antunes Lopes da Silva, o “Big Big”, vieram a óbito, durante confronto com a Polícia Militar, ocasião em que tiveram suas armas apreendidas, dentre elas, uma pistola calibre .380, estava em nome do empresário.

O investigado, de 33 anos, após saber que uma das armas de fogo que estava em seu nome, foi apreendida com os criminosos mortos na ação, registrou um boletim de ocorrência, no dia 23 de abril (data seguinte aos fatos), alegando desconhecimento de que sua arma havia sido furtada de sua residência.

O empresário, que também era colecionador, possuía quatro armas de fogo registradas em seu nome, porém no boletim de ocorrência alegou que apenas duas armas haviam sido furtadas de sua residência. Na casa, não havia sinais de arrombamento, e as outras duas armas que também estavam na residência, não teriam sido levadas pelos supostos criminosos.

Investigação

Diante da situação, a Policia Civil instaurou inquérito policial sobre o caso e apurou que os integrantes da facção criminosa mortos em confronto eram os responsáveis por vários sequestros e homicídios ocorridos em Peixoto de Azevedo por ordem da facção criminosa

As investigações apontaram que arma pertencente ao empresário foi utilizada em vários homicídios ocorridos na cidade, sendo enviada para exame de confronto balístico, realizado pela Politec.

Por ser empresário do ramo de câmeras, o empresário também é investigado por procurar vítimas de roubo de veículos, principalmente de caminhões, alegando ser “informante oficial” da Polícia e ter informações privilegiadas para localizar esses veículos, exigindo dinheiro para encontrá-los.

Prisão

Com base nos levantamentos, o delegado Geordan Fontenelle representou pelos mandados de prisão e busca e apreensão do suspeito, que foram deferidos pela Comarca de Peixoto de Azevedo, na quinta-feira (29.06), e cumpridos neste sábado (01.07), em Sinop. Na ação foram apreendias as armas de fogo, vinculadas ao nome do investigado e o aparelho celular do empresário, que será encaminhado para perícia.

Fonte: PJC

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas