21.9 C
Mato Grosso
segunda-feira, março 4, 2024
spot_img
HomeMato GrossoPreço da pluma é o menor desde outubro de 2020 em Mato...

Preço da pluma é o menor desde outubro de 2020 em Mato Grosso

Até o dia 30 de junho, Mato Grosso colheu 1,77% dos quase 1,2 milhão de hectares de algodão semeados na safra 2022/23

A colheita do algodão chegou a 4,21% da área plantada no Brasil, segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa). Em Mato Grosso, maior produtor de pluma do país, o ritmo dos trabalhos está lento em relação a anos anterior, mas com perspectiva de boa qualidade. Entretanto, produtores revelam estar preocupados quanto ao preço pago pela fibra no estado, que está cerca de 43% inferior ao recebido nesta época em 2022 e é o menor desde outubro de 2020.

Até o dia 30 de junho, Mato Grosso colheu 1,77% dos quase 1,2 milhão de hectares de algodão semeados na safra 2022/23. Percentual abaixo dos 4,58% do ciclo passado nesta época e que os 2,65% da média dos últimos cinco anos, de acordo com levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

A expectativa no estado é que sejam colhidas 2,170 milhões de toneladas de pluma na safra 2022/23. Uma produção 1,97% mais volumosa que a passada e com qualidade interessante, como destacam os produtores.

Entretanto, a grande preocupação, conforme os produtores, está centrada no preço pago pela pluma nesse momento. Hoje em Mato Grosso o preço médio gira em torno de R$ 116 por arroba, valor cerca de 43% inferior ao que era praticado nessa mesma época no passado, quando a colheita estava em fase inicial.

Além disso, o montante é o menor desde outubro de 2020, quando o mercado começava a se recuperar da queda brusca que sofreu durante a pandemia.

O produtor frisa que antes de qualquer coisa é preciso que os agricultores concluam a sua colheita de algodão para ter resultados, para que depois seja tomada alguma decisão.

Foco é no planejamento

Presidente da Abrapa e cotonicultor em Mato Grosso, Alexandre Schenkel salienta que 2023 é um ano de transição.

Para o presidente da Abrapa o planejamento é a melhor forma de minimizar os custos, principalmente neste momento de queda de preço.

“Isso é estratégia particular de cada um. Fazer o seu hedge, casar compras com vendas para poder ter segurança nesses anos que são desafiadores”.

Algodão Mato Grosso

Foto: Viviane Petroli/Canal Rural Mato Grosso

Abertura de mercados da China

A China, maior país consumidor da pluma de Mato Grosso e do Brasil, vem ampliando a aquisição de fibras do mercado internacional. Recentemente, anunciou, segundo boletim semanal da Abrapa, a possibilidade de voltar a comprar a fibra da Austrália.

Além do planejamento da safra 2023/2024, que já está em andamento, Alexandre Schenkel destaca que o produtor deve estar de olho no mercado internacional. “A China está abrindo mais mercado esse ano, está entrando pluma dos australianos e nós temos que manter o nosso trabalho”.

O presidente da Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea), Miguel Faus, afirma que para o mercado brasileiro o fato da China comprar a sua pluma já é muito importante.

“Não importa se compra algodão australiano ou brasileiro ou americano, mas é algodão que concorre com o nosso internacionalmente. À medida que eles vendem algodão para a China, tem outros mercados aos quais temos possibilidades de vender mais. Então, é positivo para o mercado grandes compradores estarem de volta e eles também comprando algodão brasileiro”.

Fonte: Canal Rural

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas