18.5 C
Mato Grosso
domingo, julho 21, 2024
spot_img
HomeCidadesPolícia Civil prende homem responsável pela parte financeira de associação criminosa

Polícia Civil prende homem responsável pela parte financeira de associação criminosa


Um integrante de associação criminosa, apontado como responsável pela parte financeira e outras funções, foi preso pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Várzea Grande, na terça-feira (02.05).

O suspeito foi preso em flagrante, durante investigação para esclarecer uma ocorrência de roubo majorado, associação criminosa armada, extorsão qualificada em consonância com as disposições do concurso de pessoas e lavagem de dinheiro.

A vítima compareceu na Derf de Várzea Grande, relatando que dirigia seu veículo Fiat Toro pelo bairro São Simão, quando ao reduzir a velocidade para desviar de um buraco, teve o seu veículo fechado por três homens armados em um carro Corolla.

Os indivíduos renderam a vítima e a colocaram no banco traseiro da Fiat Toro. Em seguida, a vítima foi obrigada a desbloquear o seu celular e realizar transações bancárias via PIX, no valor total de aproximadamente R$ 9 mil.

A vítima ficou por horas sendo mantida como refém, dentro do veículo e a todo momento ameaçada de morte, enquanto os suspeitos faziam contato via celular, com outros comparsas que informavam contas bancárias para receber o dinheiro.

Na sequência ela foi retirada do Fiat Toro e colocada no veículo Corolla, sendo levada para uma região de mata, nas proximidades do bairro Chapéu do Sol, onde os suspeitos aguardavam a ordem de um comparsa que monitorava as contas, para liberá-la.

Em depoimento, a vítima relatou que em determinado momento, os indivíduos ficavam mais violentos, pois algumas transferências eram recusadas pelo banco, e chegavam a encostar a arma de fogo em sua cabeça, fazendo ameaças.

Somente depois da confirmação das transações bancárias, ela foi abandonada em um local ermo, no meio do mato. Ao caminhar por uma estrada, encontrou uma pessoa e pediu por ajuda.

A Polícia Militar foi acionada e ao conversar primeiramente com a vítima, está informou os “modus operandi” e as características físicas dos suspeitos, sendo possível qualificar dois dos envolvidos. Porém ambos não foram localizados.

Durante as investigações os policiais civis conseguiram identificar os titulares das contas bancárias, as quais receberam os valores subtraídos da vítima, sendo um deles localizado pela equipe.

O suspeito foi conduzido para esclarecimentos, e confessou que integra a associação criminosa, na função de suporte logístico com a parte financeira, pois disponibiliza sua própria conta bancária, e também recruta terceiros, para disponibilizar as contas, para receber os valores oriundos dos roubos e extorsões.

Com o suspeito foram apreendidos três celulares, usados para baixar os aplicativos bancários, e, assim, controlar em tempo real, as transferências que os comparsas efetuam no momento dos roubos.

O preso assumiu que sua função era monitorar o roubo em tempo real, mantendo contato pelo celular com os autores que estavam com a vítima refém, monitorando as contas bancárias, para as quais o dinheiro era transferido.

Ele também relatou que sua função lhe confere uma renda mensal de R$ 4 mil, e atua na posição estratégica e fundamental para o êxito do crime, pois, embora não esteja fisicamente no local, é quem monitora e determina o momento em que a vítima poderá ser libertada, o que somente acontece, quando confirma que o dinheiro já se encontra nas contas recrutadas.

Diante dos fatos, o conduzido foi autuado em flagrante por associação criminosa armada, roubo majorado, extorsão qualificada, em consonância com as disposições do concurso de pessoas e lavagem de dinheiro.

Após a confecção dos autos, o preso foi apresentado e colocado à disposição da Justiça.

Fonte: Assessoria

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas