28.3 C
Mato Grosso
quinta-feira, junho 20, 2024
spot_img
HomeVariedadesMoradores de MT poderão ver eclipse solar anular neste sábado (14); entenda...

Moradores de MT poderão ver eclipse solar anular neste sábado (14); entenda fenômeno

Um eclipse solar anular acontece neste sábado (14) em todo o Brasil e, em Mato Grosso, os moradores terão uma visão parcial do fenômeno, às 14h38 [horário de Mato Grosso]. 

Segundo o professor Adellane Araújo Sousa, esse fenômeno astronômico ocorre quando a Lua se alinha entre a Terra e o Sol, e o seu diâmetro aparente está menor do que o Sol. Como a sombra da Lua não cobre totalmente o Sol, cria-se um “anel de fogo” no céu.

“No eclipse anular do Sol, a lua está mais distante da Terra e como a Lua tem um tamanho bem menor do que o Sol, ela não consegue cobrir completamente a superfície deixando um beirada luminosa, chamada de anel de fogo”, explica.

O eclipse anular também é chamado de eclipse “anelar” por causa do anel de fogo. O adjetivo Anular vem do Latim anulus, que significa “anel”.

Ainda segundo o professor, devido a rotação da Terra, a faixa percorre um caminho chamado de caminho da anularidade (no caso do eclipse anular) ou caminho da totalidade (eclipse total do Sol). Apenas as localidades dentro dessa faixa estreita podem ver o máximo do eclipse (100%).

“As localidades mais afastadas da faixa estreita como Cuiabá e Barra do Garças poderão ver apenas uma eclipse parcial”, disse.

ATENÇÃO: Nunca olhe diretamente para o Sol. Um eclipse solar só pode ser observado com óculos específicos para a visualização do fenômeno, filtro especial ou olhando para o reflexo do Sol. Nada de usar placas de raio X, filmes fotográficos, celulares ou outros artefatos.

Próximos eclipses

O último eclipse anular do Sol ocorreu em junho de 2021, mas não foi visível do Brasil. O próximo fenômeno deste tipo ocorrerá em 02 de outubro de 2024, mas será visto no extremo sul da América do Sul e em áreas no oceano Pacífico.

O alinhamento de Lua, Terra e Sol volta a surgir no céu em 17 de fevereiro de 2026, mas só será visível praticamente na Antártica. Em 6 de fevereiro de 2027, ele poderá ser visto só lá no Chuí, no sul do Rio Grande do Sul.

Do G1 MT

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas