18.8 C
Mato Grosso
domingo, julho 21, 2024
spot_img
HomeDiário TVFuncionário do Burger King faz xixi nas calças após alegar que não...

Funcionário do Burger King faz xixi nas calças após alegar que não pode ir ao banheiro

Circula vídeo nas redes sociais de José Vinícius, que diz que pode perder o emprego caso deixe a loja; empresa lamenta o ocorrido

Circula nas redes sociais um vídeo do funcionário do Burger King José Vinícius em que ele aparece com marcas de urina nas próprias calças. Segundo o colaborador, isso ocorreu porque a empresa não permite a saída do quiosque, localizado em um shopping em Aracaju (SE), para ir ao banheiro.

“Se eu sair a primeira vez, levo advertência. Se sair a segunda vez, levo suspensão. Se sair a terceira vez, levo [demissão por] justa causa”, relata Vinícius.

Em nota, a rede de fast-food disse:

“Lamentamos profundamente o ocorrido na última quinta-feira, 18/5, em Aracaju, e reforçamos que não toleramos nenhum tipo de falta de respeito. Informamos que as pessoas envolvidas no caso foram afastadas enquanto apuramos todas as informações. Estamos prestando todo o apoio e acompanhando o colaborador. Temos na nossa cultura a prática do respeito com as pessoas em qualquer ambiente, e não deixaremos de tomar todas as medidas cabíveis.”

Para Danilo Schettini, da Advocacia Schettini, “a conduta praticada contra o funcionário do Burger King é claramente característica de abuso de poder praticado pelo empregador e configura uma espécie de assédio moral”.

“De fato, a empresa tem alguns poderes de mando e controle e pode, em alguns momentos, determinar situações que os empregados devem obedecer no ambiente de trabalho. A desobediência, de fato, pode gerar punições, como advertência, suspensão e até mesmo justa causa. No entanto, esse poder encontra limites, sobretudo quando confrontados com direitos fundamentais garantidos na Constituição Federal, principalmente os direitos ligados à personalidade, previstos no artigo 5º da Constituição Federal, e à dignidade da pessoa humana, previstos no artigo 1º, também da CF”, argumentou o advogado.

O R7 tentou contato com o Ministério do Trabalho e Emprego, mas não teve retorno. Se isso ocorrer, esta matéria será atualizada.

Fonte: R7

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas