31.9 C
Mato Grosso
quarta-feira, junho 12, 2024
spot_img
HomeNacionalConsultório médico de Campo Grande era base de espionagem paralela de funcionário...

Consultório médico de Campo Grande era base de espionagem paralela de funcionário da Abin

Em reportagem veiculada por investigação do Intercept Brasil, nesta semana, foi revelado que o consultório médico de um otorrinolaringologista de Campo Grande era base de empresa de espionagem ilegal de um funcionário da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A prática é considerada ilegal, considerando o que está previsto na Lei 8.112/90, que define que o funcionário público está proibido de “participar de gerência ou administração de sociedade privada”.

O então agente da Abin, Bruno Bruno Carneiro de Albuquerque, é um dos agentes de inteligência que ocupou o alto escalão da Agência, durante o governo de Jair Bolsonaro. 

Mesmo diante do que é previsto em Lei, Bruno escapa das sanções legais pois está registrado como “sócio”, não sendo permitido ele ser apenas “sócio-administrador”.

Por VALESCA CONSOLARO

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas