17.6 C
Mato Grosso
domingo, julho 21, 2024
spot_img
HomeGeralAeronave usada para desmate químico em região do Pantanal é apreendida pela...

Aeronave usada para desmate químico em região do Pantanal é apreendida pela Polícia Civil


A Delegacia Especializada de Meio Ambiente (Dema) apreendeu nesta segunda-feira (05.06) uma aeronave agrícola utilizada para pulverizar defensivo de uso proibido, em uma ação da Polícia Civil no dia que se comemora mundialmente a data dedicada ao meio ambiente. A apreensão é em continuidade às ações da Operação Cordilheira, deflagrada em março deste ano, para apuração de ilícitos ambientais ocorridos em fazendas na região do Pantanal mato-grossense.

O mandado de busca e apreensão da aeronave foi cumprido em um hangar de uma empresa no município de Alto Araguaia, no sul do estado. A aeronave está avaliada em R$ 800 mil.

As investigações sobre o crime ambiental que desencadeou a Operação Cordilheira teve início no ano passado, quando a Dema recebeu denúncia sobre desmatamento provocado pelo uso irregular de agrotóxico, conhecido como “desmate químico”, em fazendas situadas no Pantanal mato-grossense.

Após análise temporal de imagens de satélites e aéreas, a investigação apurou que a área afetada corresponde a 95 mil hectares de vegetação nativa morta ou seca, distribuídas em 11 polígonos distintos.

Operação Cordilheira

Os fatos apurados deram origem à operação, desencadeada em 20 de março deste ano, com o cumprimento de mandados de busca e apreensão em propriedades rurais, empresas e residências. Na ocasião, foram apreendidos galões de diversos agrotóxicos e documentos que possibilitaram que as investigações localizassem a aeronave utilizada para a pulverização dos produtos.

A área desmatada e o dano ambiental causado nos recursos hídricos na região estão em fase pericial e, estima-se, que poderá ultrapassar a casa de um bilhão de reais.

“O Pantanal mato-grossense, como a maior planície alagável do mundo, é objeto de proteção constitucional, por ser patrimônio nacional e também de proteção internacional, já que o Brasil ratificou o Tratado Internacional pela Convenção de Ramsar, assumindo o compromisso de proteger as áreas úmidas. Portanto, pela importância do Pantanal e a fragilidade desse ecossistema, o desmate químico pode colocar em risco a existência deste espaço territorial”, asseverou a delegada Liliane Murata.

Nome da operação

Cordilheiras são pequenas faixas de terreno não inundável com a um a três metros acima do relevo e vegetação de cerrado, cerradão ou mata. E era assim que as cordilheiras da área desmatada deveriam estar, porém, após o desmate químico encontram-se devastada pelo dano ambiental causado pela mão humana.

Fonte: Assessoria

Noticias Relacionadas
- Advertisment -
Google search engine

Mais lidas